Sinais que o seu cãozinho da

Os cães podem virar a cabeça em momentos em que estão se sentindo desconfortáveis ou com medo, geralmente quando outros cães ou pessoas estão muito próximos ou fazendo pressão.
Experimente pegar seu cão no colo e aproximar seu rosto do dele. É muito provável que ele vire a cabeça evitando seu olhar.
Aliás, a maior parte dos problemas de reatividade surge porque as pessoas não respeitam os sinais apaziguadores que seus cães estão enviando em situações estressantes. Eles estão o tempo todo tentando evitar conflitos, portanto, se perceber que seu cão está virando a cabeça para o lado, mostrando que está desconfortável, mostre para ele que você está entendendo o que ele quer dizer e afaste-o da situação ou retire-o do ambiente o que está causando o problema.

As necessidades do seu dog

O segredo para ensinar o xixi e o cocô no lugar certo é conseguir eliminar totalmente as chances de erro e aumentar as chances de acerto. O primeiro passo é escolher onde vai ser o banheiro e o que você vai usar para o seu filhote fazer as necessidades. Normalmente as pessoas utilizam os tapetes higiênicos porque são mais absorventes e não deixam que o xixi vaze, diferente do jornal.
A escolha de onde vai ser o banheiro do filhote precisa ser muito bem pensada. É importante que seja em um local onde não tenha muita movimentação de pessoas, não seja muito próximo de portas, para não acontecer de abrir a porta em cima das necessidades e, também, por questões de higiene, que não seja muito próximo de onde o filhote faz as refeições e dorme. Os cães, assim como qualquer outro animal, não gostam de se alimentar e fazer as necessidades no mesmo local.

Cuidados com o cão idoso

Os animais também envelhecem  e colhem os problemas da idade avançada, assim como os seres humanos.

Consideramos um cão idoso, mais ou menos, a partir de 8 anos para os  cães de grande porte, e 10 anos para os de pequeno porte, assim como os gatos.

Os animais idosos poderão sofrer de doenças renais, cardíacas, hepáticas, endócrinas, problemas com tártaro, locomoção e etc.

Com o passar dos anos, os órgãos se tornam “desgastados” e surgem doenças muito comuns nesta fase da vida. A Insuficiência renal crônica, A diabetes, os sopros cardíacos e os tumores são algumas das doenças mais comuns. Nestes casos o animal apresenta sintomas como emagrecimento, tosse, urina demais, muita sede, entre outros.

Geralmente, mesmo sem doença alguma, os idosos deixam de brincar como os filhotes, dormem mais, podem engordar, mas também perder massa muscular, tem dificuldade para subir em determinados locais, ficam um pouco “rabugento” e  cansam fácil. Esta mudança no seu comportamento pode ser gradativa, mas também pode ser um pouco repentina.

Eles sofrem, em grande parte, as mesmas doenças que um ser humano, as mesmas dores e limitações.

É muito importante que seu animal realize avaliações frequentes pelo veterinário, que solicitará alguns exames para pesquisar por alterações que a idade pode trazer. Ao identificar alguma doença, é importante saber qual é o tratamento mais adequado para que seu animal tenha uma qualidade de vida.

As doenças que surgem nos idosos podem ter controle através de medicamentos, por isso é importante um diagnóstico rápido.

O mais importante na fase idosa é sua atenção, para o diagnóstico precoce de doenças, e todo o seu carinho!!!!!

Por que a pupila do olho do gato muda de formato?

Já que as pupilas possuem músculos que filtram a passagem de luz nos olhos, durante o dia elas se contraem e ficam em formato de filetes verticais, diminuindo a passagem da luz.
Quando seu gato está naquele banho de sol através da janela, suas pupilas se encontram tão finas que mal se nota. Neste momento pode-se notar que o gato também se encontra tranquilo, já que não precisa “ativar” sua máxima capacidade de captar luz para caçar – a não ser que algum passarinho passe pela janela!
Em ambientes escuros, as pupilas dilatam para aproveitar toda a captação de luz possível para o animal. No momento de caça ou brincadeiras, suas pupilas chegam a dilatar tanto que não é possível ver a cor da íris – neste momento sabemos que ele está se preparando para dar o bote!
Ao brincar com um gato, fique de olho nos olhos dele, eles também dizem muito a respeito de sua intenção na brincadeira! Se as pupilas crescerem e ficarem bem redondinhas, é hora de recuar, pois ele está querendo brincar de caça.

A importância da consulta de rotina

O médico veterinário tem um papel muito importante na vida do seu animal de estimação, isso porque ele será sempre a melhor fonte de informações sobre seu amigo, além de atuar como conselheiro para que ele tenha uma vida longa, saudável e feliz. Fazer um check-up é a melhor forma de prevenir doenças ou evitar que elas se agravem. Na visita de rotina, o médico veterinário irá verificar se as vacinas estão em dia e lhe fará perguntas sobre o animal, seu comportamento, alimentação e histórico. Caso necessário, também é possível que ele realize exames de rotina, físicos ou laboratoriais, para garantir que seu pet esteja saudável. Se você tiver alguma dúvida, este também será o melhor momento para esclarecer. Não fique muito tempo sem levar seu amiguinho ao veterinário. PREVINA-SE! Marque uma consulta com nossos profissionais especializados. Tel.: 2604-6616

Banho em gato é necessário?

Enquanto alguns acreditam que gatos devem sim tomar banho, outros veem o banho com a língua como suficiente para a higiene dos felinos.
Nós da Petcetera, acreditamos que o banho em gatos deve ser realizado apenas em casos de extrema necessidade, ou seja, diante de problemas de pele que exigem uso de xampus semanais para o tratamento.
Gatos se estressam facilmente com muitas coisas, e o banho é um grande momento de estresse, pois o barulho dos secadores é muito forte e estressante, o ato de molhar o animal e os cheiros dos produtos utilizados no banho, também….
O estresse no gato, pode levar a problemas de saúde sérios.
Mais importante que o banho, é a escovação semanal da sua pelagem. A retirada de pelos mortos evita que os gatos, ao se lamberem, ingiram grande quantidade de pelos. Pelos no estômago não são digeridos e, muitas vezes, seu gatinho pode precisar de uma cirurgia para eliminá-los. Então, na nossa opinião, uma boa escovação, que pode até ser um momento de carinho entre você e seu gatinho,  vale muito mais que um banho, que pode estressar e levar a sérios problemas.

O hábito de lamber as patas

Lamber as patas é um hábito que os animais adquirem por alguns motivos: pode ocorrer devido  algum problema de pele, dor, problemas neurológicos ou apenas para chamar a atenção do dono, ou seja, diante de problemas comportamentais.
As lambeduras, podem se tornar uma mania, como os humanos que roem unhas. Assim, é importante identificar rapidamente o problema, para que ele não se torne um sintoma comportamental e de difícil solução. Não interferir nas lambeduras, pode fazer o problema se aprofundar, pois a pele entre os dedos ficará úmida e trará problemas de infecções de pele.
Então, caso seu animalzinho lamba demais as patas, procure a ajuda de um veterinário!

Os cães enxergam no escuro?

A visão deles é realmente bem diferente da dos humanos e eles conseguem enxergar com pouca luz, ou seja, cachorros enxergam um pouco mais que nós no escuro, mas na completa escuridão, não, eles não enxergam.
Os cachorros possuem mecanismos nos olhos que otimizam a visão noturna, fazendo com que eles possam aproveitar melhor qualquer luz que esteja disponível. Isso significa que a visão dos cães a noite ou em situações com pouca iluminação pode ser borrada ou menos distinta, mas eles são capazes de perceber qualquer movimento.

Coceira! Se este sintoma irrita a gente, imagine neles!

Diariamente, aqui na clínica, atendemos animais com um sintoma bem chato para nossos amiguinhos: Coceira! Se este sintoma irrita a gente, imagine neles!!!!! Mas afinal, o que pode causar coceira?

Esta é uma resposta bem complexa, já que muitas coisas podem levar a este sintoma.

Uma coisa simples e muito importante  é  investigar a presença de pulgas, carrapatos e outros parasitas de pele, como as sarnas e piolhos, por exemplo.

Geralmente, parasitas da pele já causam coceiras apenas pelo fato de se locomoverem no animal; mas a pulga, por exemplo, pode causar uma coceira muito intensa em alguns animais, isso porque há  animais que possuem alergia da saliva da pulga!!!! Esta alergia leva a uma coceira muito irritante, a ponto de o animal se ferir até sangrar! Os animais alérgicos a pulgas, coçam se forma diferente daquele animal que apenas apresenta pulgas. É importante prevenir frequentemente ectoparasitas mesmo que você não os veja. Uma pulga, por exemplo, pode subir no animal, picá-lo e sair do seu corpo. Assim, é comum observar alergias de pulgas sem observar tal parasita.

Mas não são apenas os parasitas que podem causar tanta coceira! Você sabia que um simples pedacinho de frango pode levar a uma coceira de enlouquecer?! Sim, isso pode ocorrer porque alguns animais podem apresentar alergias alimentares! Geralmente esta alergia é causada por alguma proteína ingerida, e isso pode ocorrer mesmo que seu animalzinho coma apenas ração. Nestes casos, quando há a suspeita de alergia alimentar, um veterinário deve lhe passar orientações para uma dieta hipoalergênica.

Além de alimentação e ectoparasitas, seu animal ainda pode ter um problema de pele que leva a alergia a várias coisas: produtos de limpeza, pólen, produtos usados no banho, perfumes, sua maquiagem e etc…. Isso pode acontecer porque estes animais tem uma deficiência de uma proteção na pele…. Nestes casos, o tratamento é muito complexo e não existe cura, apenas controle…..

A pele do seu animal também pode coçar caso ele apresente infecções por fungos e bactérias. Isso pode acontecer quando ele toma banho ou chuva e fica molhado ou não o secam corretamente. A pele úmida, associada com o calor do corpo, pode desenvolver uma infecção e começar a coçar.

Há, também, causas de coceira que não se limitam a problemas com a pele propriamente dita, e sim problemas que tem como sintomas, coceiras. Nestes casos podemos citar doenças auto-imunes, problemas endócrinos, problemas psicológicos (ansiedade, solidão e etc), entre outros.

É importante saber que toda coceira que não é tratada rapidamente, pode se prolongar e levar a formação de feridas, o que faz o problema ficar ainda pior… Também é importante identificar o que é coceira! A coceira não é apenas “bater” as patinhas contra o corpo. Raspar o corpo contra móveis, paredes o u chão e lamber regiões do corpo também podem significar coceira.

Bem, como vocês viram, as coceiras podem ter muitas causas, por isso é muito importante não tentar medicar sem o auxilio de um veterinário. Seu veterinário é a pessoa mais indicada para ajudar seu animalzinho da forma  mais correta!!!

 

Referência: Tratado de medicina externa – Dermatologia veterinária. Larsson e Lucas, 2016

Moro em prédio. Eu posso ter animais em apartamento?

Sim. A verdade é que nenhum síndico ou proprietário pode proibir a permanência de cachorros em apartamento ou casa. Isso faz parte do seu direito de propriedade.
Mesmo que as regras do condomínio proíbam de alguma maneira a presença de cães, elas não podem ir contra e não são maiores que a Constituição Federal, código maior do país, ou o Código Civil.
Apenas um juiz pode, depois do tutor apresentar sua defesa, ordenar a retirada do animal. Essa decisão deve ser tomada apenas depois do processo conter provas inequívocas e o animal, de fato, apresentar algum perigo ou causar desassossego.
Se o animal está há 5 anos morando na propriedade e nunca houve nenhuma reclamação, não é possível mudar as regras do condomínio no meio do caminho, esse é um direito adquirido.
E mesmo que seja votada uma alteração na convenção do condomínio, assim proibindo a permanência de animais, essa medida não poderá ser aplicada ao seu pet.
Os tutores que não estiverem satisfeitos poderão perfeitamente procurar a justiça para resolver suas disputas. Na maioria dos casos, os juízes favorecem a permanência do animal.
Em contrapartida, é importante que o tutor seja responsável e garanta que a presença do cão não represente riscos à saúde, segurança ou incômodo comprovado ao sossego dos vizinhos.
Portanto, sim, pets podem morar em apartamento!
Seja de porte pequeno ou porte grande. O que realmente determina uma boa convivência e a possibilidade de ter cachorros em apartamento são o comportamento e criação deles.